Ensaios do Tempo Interno


  •  

    Te enganaram. Não existe má administração do tempo externo. Em questões de tempo, o que acontece fora de você é só um reflexo da autoestima. Afinal, se você se estima, sabe que horas são. É o tempo interno. O tempo que merece respeito, o tempo que escolhe relações em um dia, e com marcas de anos. O tempo que escolhe um bom vinho em vez de um novo para amadurecer. É o tempo que estudou, se formou e se graduou com grandes mestres, seja uma amizade antiga, seja um velho amor, todos no seu lugar, todos com seu valor. O que o tempo interno faz é acelerar os seus ponteiros. É abrir a sua percepção. É poder crescer mais rápido, amadurecendo os segundos. É entender que cada um tem seu tempo e que o que para você é rápido demais, no tempo do outro é uma novela incrível, com início, meio e muitas vezes fim. Apesar disso tudo, o dia nasce e você descobre a hora em que acordou. O que fazer com o tempo? Ou você responde ou o tempo responderá no seu lugar. O segredo é marcar encontros com você, o segredo é não se perder. O mundo está sem tempo e para se “viver”, ensinaram que é preciso prostituir o tempo. Ou você o valoriza, ou ele se torna barato demais. Fica chato, arrastado, sem vida, irritante, irresponsável, desgastante…controlado. Porém, deixe-me retornar para não me perder, já estava a girar e a pensar em grãos de café que não moí para me acordar. Nunca foi o café. Foi o gostar de café que me faz abrir um tempo interno para os grãos nas minhas desejáveis vinte e quatro horas. Por isso, no dia em que o seu tempo interno precisar de mais tempo, se imponha o seguinte lembrete: que seja somente porque a vida está se fazendo valer a pena em ser organizada. No fim das contas, é tudo uma questão de permissão, que se não for cuidada, se transforma numa incontrolável invasão de segundos, minutos e horas insuportavelmente inutilizados.

    João Alexandre Borba

    img04

Deixe o seu comentário

*